Comunidade Imaginada

:: coisas da antropologia ::

Arquivo de software

Notas de leitura e “notetaking software”

Uma forma de facilitar a organização da leitura das dezenas de textos que teimam em se acumular na mesa de trabalho é tentar anotar e organizar metodicamente os apontamentos e notas de leitura. Instrumentos como o Zotero e o Evernote, usados em conjunto, têm facilitado bastante a minha vida. Mas há mais, muitos mais e esta página da wikipédia faz uma listagem e comparação das características e funcionalidades de muitos dos que existem disponíveis, entre gratuitos, pagos e mais-ou-menos pagos ou nem-por-isso gratuitos.

Existem até abordagens científicas da questão crucial de “como tirar notas eficazes”, não só da leitura de textos, como em aulas, conferências, seminários e afins. Um(a) tal de Cornell já deu nome a um método – o Cornell Notetaking Method – adaptado depois por outros expertos a um pequeno software que gera blocos de apontamentos em pdf próprios para a função – o Cornell Method PDF Generator – ou em templates para Word.

Este post mostra o método em acção, com tutorial e exemplos. E este sugere outros métodos, incluindo o velho e clássico papel e caneta e o útil e libertador conselho de que, por vezes, é melhor esquecer notas e apontamentos e gozar descontraidamente o que se lê ou ouve.

[CM]

Anúncios

Acesso livre às publicações da SAGE

Free Online Trial to all SAGE Journals until May 31: mais uma vez, a SAGE dá oportunidade de acesso ilimitado a todas as publicações, durante um período restrito. Até 31 Maio, a visita ao site da SAGE vai ser diária…

E, mais uma vez, menciono o Zotero como uma ferramenta indispensável para arquivar os resultados destas pesquisas. Extensão do Firefox – o browser que a esta hora já deveria ter eliminado todas as versões do IE da Microsoft dos computadores pessoais que correm em ambiente Windows -, o Zotero não só capta e arquiva, como cataloga, arruma e organiza todos os preciosos resultados das pesquisas. E mais: em alguns sites, como o da SAGE, basta um clique num pequeno icon para guardar TODA a informação que o site disponibiliza para o artigo encontrado. Não só os sumários e as referências bibliográficas, como também os pdf que estiverem associados.

Firefox, Zotero e Scribe

O Firefox, browser altamente recomendável como alternativa ao Internet Explorer – que, contrariamente ao que muitos pensam, não aparece dentro dos computadores por geração espontânea, mas é lá (im)posto pela Microsoft – pode ser adaptado às necessidades, desejos ou vontades de cada utilizador, através de um sem número de configurações ou de extensões que ampliam as funcionalidades do browser.

O Zotero é uma dessas extensões e torna-se totalmente indispensável para quem utiliza a internet como ferramenta de pesquisa.

zotero_screenshot.jpgPermite arquivar todo o género de documentos e classificá-los por tipologia – livro, artigo de revista, de jornal, website, blog, video, som, imagens, programas de rádio ou de televisão, podcast, e muitos mais etceteras -, arrumá-los em pastas e sub-pastas, acrescentar-lhes ligações para documentos arquivados no PC, atribuir-lhes palavras-chave, efectuar pesquisas, ler e anotar os documentos offline (sem ligação à internet), exportar bibliografias em vários formatos e muito mais. Tem outras vantagens: é leve, não sobrecarrega nem o browser, nem o PC; tem protocolos com bibliotecas várias, editoras, livrarias e outros repositórios de publicações, que permitem arquivar automaticamente as referências bibliográficas, e… na parte que me toca, se me obrigassem a optar entre o Zotero e o telemóvel, escolheria o Zotero sem qualquer hesitação. At last, mas não menos importante, é grátis e tem uma quantidade de gente que, por mera “carolice”, trabalha para acrescentar cada vez mais funcionalidades e utilidades ao Zotero.

Os responsáveis por este fenómeno são investigadores do Center for History and New Media, onde desenvolveram não só o Zotero, como um conjunto de outras ferramentas. Durante muito tempo, na época pré-Zotero, utilizei intensivamente o Scribe. Ainda o mantenho, mas em estado de desactivação progressiva, porque já é possível exportar os registos do Scribe para o Zotero e, na minha opinião, este substitui o Scribe com vantagens. Neste momento, utilizo o Scribe para catalogação de arquivo em papel – fotocópias de textos vários e referências de livros – que ainda não tive tempo de transferir para o Zotero. Mas é uma boa opção para quem não quiser migrar do IE ara o Firefox.

[CM]

Zotero

Vindo também do Center for History and New Media, o Zotero, um extensão para o Firefox (browser altamente recomendável como alternativa ao IE). Permite guardar em pastas as páginas e sites que vamos encontrando na net, referências bibliográficas, artigos em formato html, word, pdf.

Citando: Automatic capture of citation information from web pages; Storage of PDFs, files, images, links, and whole web pages; Flexible notetaking with autosave; Fast, as-you-type search through your materials; Playlist-like library organization, including saved searches (smart collections) and tags; Platform for new forms of digital research that can be extended with other web tools and services; Runs right in your web browser; Formatted citation export (style list to grow rapidly).

E, finalmente, é free and open source.

Scribe

O Scribe é um software gratuito, desenvolvido pelo Center for History and New Media, que permite organizar projectos de investigação e todo o material relacionado: notas, citações, ideias, contactos, fontes, imagens digitais, gravações audio, outlines, timelines, glossários. Permite imprimir e exportar bibliografias, importar fontes de catálogos electrónicos, de bibliotecas ou de livrarias.

Baseado no FileMaker, é leve, configurável e utilíssimo.