Comunidade Imaginada

:: coisas da antropologia ::

História da Antropologia em Portugal


Clara Saraiva, “António Jorge Dias (1907-1973): 100 anos de Antropologia em Portugal”, E-boletim da Associação Portuguesa de Antropologia (4) Janeiro 2008

“António Jorge Dias é considerado uma das figuras mais relevantes na moderna antropologia portuguesa. Doutorado em Antropologia pela Universidade de Munique com a tese sobre Vilarinho da Furna, posteriormente editada em Portugal (1948), Jorge Dias consegue reunir em torno de si uma equipa que marcou definitivamente o rumo da disciplina, com a sua mulher, Margot Dias, Ernesto Veiga de Oliveira, Fernando Galhano e Benjamim Enes Pereira. Influenciado fundamentalmente por duas correntes teóricas, o difusionismo alemão e o culturalismo americano, as suas publicações abrangem um vasto leque de interesses; com ele os estudos etnográficos em Portugal passam a contemplar três grandes vertentes, por ele iniciadas, em que o trabalho de campo adquire um papel fundamental.” » Ler o texto integral


João Leal, “A energia da antropologia. Seis cartas de Jorge Dias para Ernesto Veiga de Oliveira”, Etnográfica. [online]. nov. 2008, vol.12, no.2, p.503-521.

“Jorge Dias (1907-1973) manteve ao longo da vida uma intensa correspondência – até agora inédita – com vários dos seus amigos, colaboradores e colegas. As seis cartas que a seguir são publicadas são dirigidas ao seu grande amigo e companheiro de equipa Ernesto Veiga de Oliveira. Foram escolhidas por Benjamim Pereira de entre um conjunto mais vasto de cartas e foram transcritas, com respeito pela grafia original, por Catarina Mira. O período que cobrem é um período extenso: a primeira carta foi escrita em 1939, quando Jorge Dias iniciava os seus estudos etnológicos em Munique, e a última data de 1959, quando Jorge Dias, já depois da reorientação africanista da sua pesquisa, desempenhou funções de professor visitante na Universidade de Witwatersrand em Joanesburgo. Uma dessas cartas – escrita em papel timbrado da Missão de Estudos das Minorias Étnicas do Ultramar Português – não está datada, mas tudo indica que tenha sido escrita no final dos anos 1950, antes da estada de Jorge Dias em Joanesburgo.

Cada leitor lerá as cartas de diferentes maneiras: como uma janela de entrada nos sentimentos e sonhos de Jorge Dias, como documentos informais sobre o seu percurso científico e o dos seus companheiros de trabalho, como testemunhos sobre o modo como as suas aspirações se cruzaram com os dilemas do seu tempo.” » Ler o texto integral


João Leal, Antropologia em Portugal. Mestres, Percursos, Transições

1076.jpg

LEAL, João (2006) Antropologia em Portugal. Mestres, Percursos e Transições, Lisboa: Livros Horizonte

Esta obra reúne ensaios originalmente publicados em revistas ou como prefácios a reedições de clássicos da antropologia portuguesa. O livros estrutura-se em três partes: A primeira , “Mestres”, refere-se a monografias e autores de finais do século XIX a inícios do séc. XX, designado como “período dos mestres”, pretende fornecer uma visão de conjunto da obra dos “pais fundadores” da antropologia portuguesa. Analisam-se as principais influências teóricas destes autores e relaciona-se a antropologia portuguesa com a antropologia internacional da época. A segunda parte, intitulada “Percursos”, inclui ensaios que exploram temas particularmente importantes no processo de desenvolvimento histórico da antropologia portuguesa, com relevo para a relação antropologia/identidade nacional. Extravasando o âmbito cronológico, transmite uma visão de conjunto de um século da antropologia portuguesa (de 1870 a 1970) e integra no universo de análise obras que, não sendo directamente antropológicas, contêm um discurso de “etnografia espontânea”. A terceira parte , “Transições”, aborda a “nova” antropologia que se começa a desenvolver em Portugal a partir dos anos 60 e que põe em causa o eixo estruturante da relação entre antropologia e identidade nacional. [Resumo da “Apresentação”]

Ver mais:

Biblioca Nacional Digital

Figuras da Cultura Portuguesa: Adolfo Coelho (texto de João Leal)

Figuras da Cultura Portuguesa: Teófilo Braga (texto de Amadeu Carvalho Homem)

Recensão do livro em Arquivos da Memória: João Leal, Antropologia em Portugal. Mestres, Percursos, Transições (Filipe Reis)

Recensão do livro em Etnográfica: João Leal, Antropologia em Portugal. Mestres, Percursos, Transições (Clara Saraiva)

Anúncios

1 Comentário»

  Perec wrote @

Magnífico descubrir estos textos.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: