Comunidade Imaginada

:: coisas da antropologia ::

Arquivo de Revistas de acesso livre

Open Access Anthropology Journals

open access logo

Lista de revistas de antropologia de acesso livre compilada polo blog antropologi.info, que inclui revistas em português.

O site aceita sugestões.

Anúncios

Antropologia, arte e imagem

CapaAM5O último número de “Arquivos da Memória” (número duplo) apresenta um conjunto de artigos onde se cruzam diversas perspectivas na abordagem da centralidade do visual nas sociedades contemporâneas e a importância da imagem na antropologia, seja como objecto de estudo ou enquanto ferramenta metodológica.

Arquivos da Memória, Número 5/6 (Nova Série), 2009.

Imponderabilia – revista de estudantes de antropologia

Imponderabilia

Uma revista de estudantes de antropologia acaba de surgir, a Imponderabilia, uma plataforma para partilha de ideias e reflexões antropológicas, ultrapassando fronteiras disciplinares, teóricas, institucionais, académicas e nacionais.

Imponderabilia is the product of our love of, and frustration with, anthropology. The journal tries to overcome, erode, undermine and blur the boundaries between institutions and disciplines, between theory and practice and between undergraduates and postgraduates.

We envision a space where students can share their research and exchange their views, criticisms and reflections on anthropology through articles, interviews, photography and other creative methods. Imponderabilia draws on the thoughts and insights of students from universities across the world; it represents a genuine dialogue between authors, editors and peer reviewers many of whom have been in contact during the process of planning, writing, and rewriting. Authorship therefore transcends university degrees and field sites and we hope the journal can develop into a platform for the sharing of our common, yet unique experiences of studying and ‘doing’ anthropology. [editorial]

O primeiro número, de Março 2009, publica largas dezenas de artigos, incluídos em temas como Visual and Sensory Anthropology, Learning and Teaching Anthropology, Ethnography, Research and Reflections, Development, the Environment and Activism, entre outros.

O projecto é criativo e ambicioso, mas o âmbito da revista é assustadoramente amplo e coloca(-me) de imediato uma interrogação sobre os perigos do ecletismo e da diluição de sentidos e objectivos num espectro tão largo de temas, áreas de conhecimento e conteúdos.  Vamos estar atentos.

O numero completo de Março 2009 pode ser lido online e está também disponível em formato pdf.

[via antropologi.info]

[CM]

Outro país – novos olhares, terrenos clássicos”

Arquivos da Memória

Está em linha o número 4 (Nova série) da revista do CEEP, Arquivos da Memória, “Outro país – novos olhares, terrenos clássicos”, coordenado por Paula Godinho. Sob este mote, analisa as transformações ocorridas em Portugal nas sociedades rurais. A desruralização, a penetração da urbanidade na ruralidade, por via da turistificação e patrimonialização dos recursos locais, reconfigurados “em função do urbano”; o consumo cultural e a patrimonialização; as comunidades de fronteira e as novas redes sociais; a reconstrução identitária e os novos usos sociais da memória, são alguns dos temas que atravessam os artigos publicados neste número.

Pasos – Revista de Turismo y Patrimonio Cultural

Pasos – Revista de Turismo y Patrimonio Cultural é publicada três vezes por ano, desde Janeiro de 2003, pelo Instituto Universitario de Ciencias Políticas y Sociales da Universidad de La Laguna (Espanha) e pode ser descarregada gratuitamente em formato pdf.

O aspecto gráfico não é muito apelativo, mas o conteúdo é rico em perspectivas diversificadas sobre o turismo analisado através das relações com o património cultural, material e imaterial.

[CM]

“Mundos Urbanos e Contemporaneidade”

O número 3 da nova série da revista “Arquivos da Memória” (CEEP, FCSH-UNL), reúne quatro artigos que, “partindo de situações de terreno aparentemente muito díspares”, relacionam alguns factores de mudança social, abordando vários aspectos intrínsecos ao “fenómeno urbano”, como afirma Ângela Luzia, no texto de Apresentação deste número.

Arquivos da Memória
Número 3 (Nova Série)

“Mundos Urbanos e Contemporaneidade ”

Apresentação
Ângela Luzia

Objectos Deslocalizados e Método. Outras Escalas na Abordagem Antropológica
Ana Costa

Poverty Political Discourse and its Effects – Portuguese Hindus Between Shanty Town and the Social Housing Estate
Rita d’Ávila Cachado

El Trabajo De Habitar. Rehabilitación Autogestionada y Habitación Comunitaria en Berlín
Irene Sabaté Muriel

Mudança rápida e excessiva: o caso de uma aldeia da Terra Fria Transmontana
Francisco Leitão
Recensões

Dulce Simões, Barrancos na encruzilhada da Guerra Civil de Espanha. Memórias e testemunhos, 1936.
Eduarda Rovisco

Donatella della Porta e Alberto Vannucci, Mani impunite. Vecchia e nuova corruzione in Italia.
Alessandro Zagato

Marc Augé, Para Que Vivemos?
Daniela Mesquita

Lynne Segal, Slow Motion – Changing Masculinities, Changing Men.
Tiago Silva

[CM]

Crises, conflitos e guerras no Mediterrâneo

Cahiers de la Méditerranée, revista do Centre de la Méditerranée Moderne et Contemporaine, edita duas vezes por ano números temáticos de “estudos Mediterrânicos”, numa perspectiva interdisciplinar. O portal revues.org disponibiliza os textos integrais dos números editados entre 2001 e 2007.

Os vols. 70 e 71, de 2005, são dedicados às crises e conflitos no Mediterrâneo:

«La démarche qui inspire cette introduction n’est pas de donner l’explication définitive, sur le monde méditerranéen à la fois complexe et compliqué, et traversé de multiples zones de fractures. Il n’y a d’ailleurs jamais une seule explication en histoire. L’objet de ce propos introductif sera donc modeste. Il s’agit de penser la Méditerranée au cœur des Etats et des hommes, là où se nouent les mécanismes qui produisent et nourrissent la violence. J’essayerai de mettre l’accent sur quelques repères et de répondre à une question essentielle : la Méditerranée a-t-elle jamais été une mer de paix ?» [Samya El Mechat, “La Méditerranée, « paix et guerre entre les nations »”, introdução aos números temáticos]

 Destaque: Maher Charif, “Un siècle d’histoire: comment comprendre la persistance du conflit arabo-israélien?”

Resumo : “Cette étude propose, en recourant à l’histoire du conflit arabo-israélien, d’analyser quelques facteurs et phénomènes essentiels qui l’ont exacerbé et qui ont entravé sa résolution, comme la nature originelle du projet sioniste, les racines du « refus » arabe, les mutations, sociales et politiques, survenues en Israël depuis la fin des années 1970, les relations privilégiées entre Israël et les Etats-Unis, ainsi que les raisons de l’« impuissance » arabe.”

[CM]