Comunidade Imaginada

:: coisas da antropologia ::

Arquivo de antropólog@s

«Claude Lévi-Strauss filósofo»

17 de Maio 2010, Instituto Franco-Português de Lisboa

Organização: Centro Interuniversitário de História das Ciências e da Tecnologia (FCT/UNL)

Programa:
10:00 Abertura do colóquio
Fabienne Lallement (Adida de Cooperação Educativa da Embaixada de
França)
Maria Paula Diogo (Coordenadora do CIUHCT)
10:15 José Luís Câmara Leme (CIUHCT/UNL)
– Les Nambikwara, Beveridge et la technique du bonheur
11:00 Marcel Drach (Paris IX Duphine)
– La résonance du corps au sens : la théorie de la musique dans
l’ouvre de Claude Lévi-Strauss
11:45 [intervalo]
12:00 Marcel Hénaff (University of California at San Diego)
– Vivre avec les autres : réciprocité et altérité chez Lévi-Strauss
13:00 [intervalo]
14:30 Davide Scarso (CIUHCT/UNL)
– Vers un nouveau régime de pensée: Merleau-Ponty face au
structuralisme lévi-straussien
15:15 Carlos João Correia (Centro de Filosofia/UL)
– La fonction symbolique: conflit des interprétations (Lévi-Strauss et
Ricoeur)
16:00 [intervalo]
16:15 Filipe Verde (Centro em Rede de Investigação em
Antropologia/CEAS/ISCTE)
– À la Recherche d’une Méthode ou d’une Philosophie? – Lévi-Strauss et
la Tentation Matérialiste

A entrada é livre e disponibiliza-se certificado de presença.

LGS

Anúncios

Lévi-Strauss e o estruturalismo em BD

Publicado no Financial Times.

[CM]

Homenagem a Benjamim Pereira

Homenagem Benjamim Pereira

Organizado pelo CRIA – Centro em Rede de Investigação em Antropologia, na F. Gulbenkian em Lisboa, nos dias 16 e 17 de Abril.

Ver também:

[CM]

Morreu Claude Lévi-Strauss

Claude Lévi-StraussMuito perto de fazer 101 anos, Lévi-Strauss morreu este fim de semana.

A revista SciencesHumaines.com republica na íntegra, desta vez em acesso livre, um dossier Lévi-Strauss, publicado na altura do seu 100º aniversário. Este dossier contém uma série de artigos sobre L-S e alguns textos do autor, raros ou inéditos. (Em francês.)

Antropolis : grupo em português na OAC

periferia_resiste2A importância dada pelos impulsionadores da OAC à representação regional dos seus membros fez surgir diversos grupos com referências linguísticas ou regionais particulares.

A ideia não é “encarcerar” os membros da OAC em fronteiras nacionais, regionais ou linguísticas, mas precisamente o oposto. Isto é, dar relevância a esta presença, com o objectivo de ultrapassar a fronteira do anonimato em que vive a diversidade que constitui o conjunto das “world anthropologies”.

Antropolis pretende ser um ponto de encontro, de colaboração, de divulgação, de interrogações e de diálogo também em português, mas onde todos os “dialectos” falados na “polis antropológica” são bem vindos.

[CM]

OAC – Open Anthropology Cooperative

OAC_Members

Um grupo de antropólogos formou recentemente uma rede internacional, a OAC – Open Anthropology Cooperative , que pretende promover o debate, a comunicação, a troca de experiências e a colaboração entre antropólogos, utilizando a internet como meio de ultrapassar fronteiras nacionais, regionais e linguísticas.

A iniciativa, uma plataforma aberta que apela à colaboração multi-disciplinar e multi-regional, teve um sucesso imediato. No primeiro dia, 28/05, registaram-se mais de 200 membros (com ligações diversas à antropologia – desde estudantes a académicos) e formaram-se vários grupos temáticos e regionais. O número actual de membros ultrapassa já os 400 e formaram-se 37 grupos.

“I would encourage any of you to launch regional or language-based groups. We want OAC to be a multilingual platform allowing our members the freedom to be themselves in the medium and area that they choose.”, diz Keith Hart, o impulsionador directo da criação da OAC.

Para quem estiver familiarizado com redes sociais na Internet (como o Facebook e outras), o funcionamento da OAC é semelhante. Cada membro tem uma página pessoal e acesso a um conjunto de ferramentas de participação e interacção com todos os outros membros.

O processo de adesão é simples e o projecto merece o nosso apoio, divulgação e participação.

Entusiastas de primeira hora formaram um grupo em português, o Antropolis.

Para entrar na OAC e tornar-se membro (“sign up”): http://openanthcoop.ning.com/

Até lá!

Os 100 anos de Claude Lévi-Strauss (2)

[Actualização do post anterior]

Mais vale à tarde que nunca (como dizia um amigo com algumas resistências ao cumprimento de horários laborais rígidos). E digo eu também, que só descobri hoje os  textos comemorativos do centenário de Lévi-Strauss em “Os livros ardem mal“.  A qualidade dos textos (e da ideia) justificam esta actualização.

Um texto de Luis Quintais faz uma breve resenha bio-bibliográfica de Lévi-Strauss e anuncia que “Lévi-Strauss fará cem anos amanhã. A nossa homenagem começou neste texto de Luís Quintais e continuará hoje e amanhã, com depoimentos de Francisco Vaz da Silva, Filipe Verde e Hermínio Martins.

A pergunta “O que representa para si Claude Lévi-Strauss, hoje?” foi colocada e respondida por Francisco Vaz da Silva (antropólogo e docente no Departamento de Antropologia do ISCTE, em Lisboa), Filipe Verde (docente no Departamento de Antropologia do ISCTE, em Lisboa, e investigador do CRIA-CEAS), Hermínio Martins (professor nas Universidades de Leeds, Essex, Harvard, Pennsylvania e Oxford, e investigador no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa).

Merci beaucoup, Professor Claude”, de Rui Bebiano, e “O meu Lévi-Strauss” de Osvaldo Manuel Silvestre rematam o conjunto dos posts comemorativos.

[CM]